Por Tom Ciccotta, no Breitbart.

A Universidade Drake, em Des Moines, Iowa, foi criticada depois de ter sido revelado que ela expulsara um estudante do sexo masculino por agressão sexual, embora quem o acuse tenha admitido também ter abusado sexualmente dele.

A Drake University está enfrentando agora uma batalha judicial sobre a sua investigação em uma ocorrência em que Thomas Rossley Jr. e uma mulher anônima acusaram-se mutuamente de agressão sexual. De acordo com um relatório do The College Fix, a mulher anônima admitiu ter realizado sexo oral em Rossley Jr. sem o seu consentimento. Apesar disso, a Drake University nunca investigou essa parte da ocorrência. Por fim, ele foi expulso da universidade.

Rossley Jr., que tem TDAH, dislexia e “problemas de recuperação de palavras”, solicitou assistência na audiência que ocorreu após a investigação. No entanto, Rossley Jr. não recebeu ajuda e se defendeu sozinho durante uma audiência de nove horas.

O pai de Rossley Jr., Tom, foi demitido de seu cargo no Conselho de Administração da Drake University depois de ter argumentado que seu filho estava sendo tratado injustamente. Rossley Sr. então processou o conselho, alegando “retaliação do Título IX”. Um juiz descartou a ação, argumentando que a posição de Rossley no conselho não estava coberta pelo Título IX.

Os Rossleys argumentam que várias partes do processo foram tendenciosas contra ele por causa de seu gênero. Rossley Jr. afirma que os funcionários da universidade lhe disseram que isso seria visto como “retaliação” se ele fizesse uma queixa contra sua acusadora. A implicação é que os funcionários disseram a Rossley Jr. que a única razão pela qual ele poderia registrar uma queixa seria se ele cometesse um ataque e estivesse procurando encobri-lo.

Em outubro, a corte decidiu que a parte do caso que enfoca a falha da universidade em investigar as acusações feitas contra a mulher anônima pode prosseguir para um novo julgamento.

 

Fonte:

Drake Expels Male Student Despite Female Admitting She Forced Him Into Sex Act