cartoonfidel– Desculpe, o paraíso comunista não existe.

Veja mais charges sobre a morte de Fidel aqui.

Tarso tuite

– Para quem caiu no conto petista de que PSDB é de direita, a reação de Aécio à morte de Fidel é um bom antídoto:

Aecio Fidel

– Aécio ignora mordomias de Fidel e diz que “deixa o legado do sonho por uma sociedade igualitária”. O legado do discurso para enganar trouxa.

– IBGE divulgou queda da desigualdade no Brasil pois… todas as “classes” ficaram mais pobres, e ricos tiveram a maior perda de renda. “Sociedade igualitária”.

 

– Eis as comemorações do povo cubano que fugiu de Fidel para os Estados Unidos:

 – Do ator cubano Andy Garcia, astro de Hollywood:

“As execuções, perseguições e prisões de dissidentes políticos e da comunidade LGBT, a proibição de uma imprensa livre, eleições livres e liberdade religiosa serão o seu legado. Ele disse que a história o absolverá mas ela poderá também condená-lo.”

– Da cantora cubana Gloria Estefan, radicada nos EUA:

“As amarras do regime castrista não serão relaxadas da noite para o dia, mas a morte do líder que autorizou a execução de quem pensava diferente, a prisão indiscriminada de inocentes, a separação de famílias inteiras, a censura à liberdade de expressão do próprio povo, o terrorismo de estado e a destruição econômica de um país que um dia já foi próspero e bem sucedido, só pode levar a mudanças positivas para o povo cubano e para o mundo.”

– O ABC da Espanha deu talvez a melhor capa sobre o tema: “Morre o tirano de Cuba”… “após mais de meio século de opressão ao seu povo”.

ABC tirano

– Bene Barbosa, do Movimento Viva Brasil: “Sugiro que os artistas que leram o nome dos 111 criminosos mortos no Carandiru façam a leitura dos nomes dos 100 mil mortos de Fidel.” Aguardando.

– Magno Malta (PR-ES): “Morreu o sanguinário promotor da pobreza cubana ídolo da PTzada! Morreu devendo a grana do porto que Dilma e Lula deram pra ele.”

[…]

– Ana Paula do Vôlei:

“Aqui lembrando as barbaridades que as cubanas nos contavam sobre Fidel. Uma delas? Ele ficava com 100% da premiação delas de todos os torneios.”

“Ouvi de uma bicampeã olímpica: ‘Trocaria toda a minha glória esportiva por uma chance de viver feliz longe de Cuba.”

“Quantas vezes não levamos as cubanas para comprar pasta de dente, sabonete, shampoo, aspirina… E elas ainda tinham que esconder tudo para entrar em Cuba.”

“Ler que atletas gostavam de Fidel é balela. As cubanas nos contavam que tinham que falar bem dele, não havia escola. Temiam por suas famílias.”

Ana Paula também relembrou notícia sobre o maratonista cubano Alberto Cuba Carrero, que pediu asilo na Holanda e declarou:

“Somos escravos do governo cubano e estou cansado de ser um escravo dos Castro. Quando eu era atleta, todos os prêmios que ganhei nas maratonas foram direto para as mãos do governo, e hoje é igual.”

– Relembro o preciso e divertido discurso de Margaret Thatcher sobre o ódio dos socialistas à liberdade:

– Melhor declaração presidencial sobre Fidel Castro foi de Trump: “um ditador brutal que oprimiu seu povo por seis décadas”. O resto é engodo.

– Trump: “legado de Fidel é o dos pelotões de fuzilamento, roubo, sofrimento inimaginável, pobreza e negação a direitos humanos fundamentais”.

Trump Fidel

– Mais de meio século de ditadura não faz de Fidel um ditador para setores da imprensa, que tratam Trump como tal pelo que fantasiam que fará.

– Jill Stein, ex-candidata à Casa Branca pelo Partido Verde e linha auxiliar de Hillary Clinton para o pedido de recontagem de votos, afirmou que “Fidel Castro era um símbolo da luta pela justiça à sombra do império”. Nada mais irônico que Stein exalte um ditador que impedia eleição livre enquanto contesta o resultado da eleição americana.

– Como rebateu Katie Pavlich, editora do Townhall: “E a propósito, Stein, você está livre para sair dos EUA, o “império das sombras”, para Cuba a qualquer momento.”

– Irmã de Fidel exilada no Sul da Flórida, Juana o chama de “monstro” com quem não falou por quatro décadas. “Como qualquer um que estudou história, o que obviamente não inclui ninguém na mídia mainstream de #FakeNews [notícias falsas] e o presidente Obama”, comentou o republicano Steven Smith.

– Se o Fantástico não tivesse dito que Fidel era mulherengo, eu acharia que a matéria era sobre a morte do Papa João Paulo II.

Como a imprensa internacional apresentou Fidel ao público, via o cubo do povo:

fidel-morte

Fidel prendeu proporcionalmente mais que Hitler ou Stalin. Cuba era um dos países mais ricos antes de Fidel, agora nem os haitianos fogem para lá.

Como disse Ben Shapiro, nada disso fará a esquerda parar de enaltecer Fidel, porque ela apoia sempe as piores pessoas do mundo, desde que else comprometam em destruir a liberdade individual em nome da justiça coletiva.