Como evitar distrações da internet para um trabalho profundo

No último dia 10, a Folha de São Paulo apresentou o trabalho de Cal Newport, dando dicas sobre como lidar com as distrações para melhorar os resultados no trabalho.
Ele escreveu o livro “Deep Work – Rules for focused success in a distracted world”, onde convida as pessoas a se “isolarem das distrações e fazerem o trabalho profundo”, em tradução livre.
Esta filosofia defende que o isolamento permite um foco maior nas atividades do profissional e um resultado melhor.
Para alcançar este resultado há 4 regras orientadoras.

As 4 regras

1 – A primeira regra orienta a pessoa a, como um monge, se isolar da tecnologia o máximo possível. Como nem todos os cargos permitem isso, talvez você possa dividir o seu tempo entre períodos monásticos e “períodos livres”, com acesso à rede.
2 – A segunda regra busca conscientizar as pessoas sobre a importância das atividades físicas, orientando-as a separar um horário para caminhar, enquanto se concentram em uma atividade do trabalho e sem acessar a rede para diversão.
3 – A terceira regra diz respeito ao uso das redes sociais: deve ser moderado e consciente. Apenas devem ser usadas as que fizerem diferença no desempenho profissional.
4 – A quarta regra sugere que o profissional deve otimizar o seu tempo, filtrando os contatos e respondendo apenas aqueles estritamente necessários.

Abandone as redes sociais, sua carreira pode depender disso

Newport afirma que a ascensão e onipresença dos aplicativos e ferramentas sociais estão destruindo a atenção das pessoas e a capacidade de aprender. A tentativa de fazer muitas coisas ao mesmo tempo gera trabalhos deficientes, superficiais, com menor valor agregado e facilmente replicáveis (“shallow work”).

Conclusão

Com o rendimento e a capacidade de aprendizado comprometidos, a carreira e futuro de muitos profissionais pode estar em risco.
O nosso corpo só produzirá determinadas substâncias sob certas condições e dependemos dessas substâncias para melhorarmos o uso de nosso cérebro. Então é importante criar os estímulos necessários, e isso inclui descansar e se divertir.

Nossa dica:

Como não é razoável hoje em dia, abandonar as redes, a dica é dividir o tempo discricionário (aquele disponível para cada pessoa) em blocos ou partes do dia.
Assim, no início do expediente pela manhã, reservar um pequeno período para checar as mensagens, notificações e novidades principais e responder as mais importantes – sem ficar passeando pelos endereços da rede. Estabeleça e respeite um prazo de 15 minutos.
Repetir o procedimento, à tarde, nos últimos dez minutos do expediente do dia.
Cuidado para não ser fisgado por e-mails, imagens ou notificações do “Face”, etc, que, embora tentadores, não acrescentam. São autênticos ladrões de tempo e de produtividade.
Finalmente, não caia na falácia do “cérebro multitarefa”: nosso intelecto só é capaz de processar um assunto de cada vez. Por isso, concentre-se na tarefa que estiver executando e, depois, dê um tempo livre para a mente – descansando, meditando, passeando.

Curitiba, 17 de janeiro de 2017

Fonte: Folha de S. Paulo, ed. 10jan17, “’DEEP WORK’ – Formas de fugir das distrações eletrônicas”, pág. B5
Redação: Alexandre K. Vidal, analista de comércio exterior
Revisão técnica: Rafael K. Vidal, pedagogo de produtividade
Edição: Rafael de Lala, jornalista
Da Associação Paranaense de Imprensa.

Ref. Isolamento produtivo (Paper nº 01/17)