Em entrevista para a Rádio Evangélica, o candidato a vereador pela cidade de Curitiba, Fernando da Padaria, apresentou à população suas propostas.

1 – Quem é o Fernando José Rodrigues de Oliveira?

Curitibano, 49 anos, casado e pai de um filho. Morador há mais de 46 anos na região do Cajuru e comerciante durante 26 anos no bairro do Capão da Imbuia. Sempre participante ativo em ações sociais e em questões comunitárias, como Conselho de Segurança, Conselho de Saúde e Associação de Moradores.

2 – Qual sua experiência política?

Sou membro da Executiva Estadual e Municipal do PSDC (Partido Social Democrata Cristão) no Paraná, e atualmente primeiro suplente a vereador em Curitiba.

3 – Há quanto tempo está filiado ao PSDC e por quê?

Estou filiado ao PSDC desde 2011, pois é um partido que tem como lema o compromisso com a família.

4 – Qual será a principal preocupação do Fernando da Padaria se eleito?

A questão da segurança. Pretendo criar a Guarda Municipal Escolar, em que viaturas ficarão mais próximas das escolas e promover um contato mais efetivo com a comunidade. Também fiscalizar e buscar recursos para a manutenção e estruturação da Guarda Municipal.

5 – E como pretende cumprir seu trabalho com isenção?

Pretendo manter a mesma postura que sempre tive, pois escuto a comunidade e busco o melhor para a cidade.

6 – Com quem o senhor já conversou até agora e sobre o que falaram?

Em toda a minha caminhada, sempre procurei ouvir as pessoas, pois cada um contribui com sua história e anseios. Por isso a melhor maneira de aprendizado é o diálogo.

7 – O Brasil passa por um momento de crise econômica. Sem verba, como o senhor manteria o nível de rendimento do seu trabalho?

Sempre participei de projetos e ações como voluntário, e busquei recursos através de doações para viabilizar projetos comunitários. Como vereador, pretendo utilizar verbas disponíveis para realizar projetos e principalmente fiscalizar a destinação dos recursos em âmbito municipal.

8 – De que maneira o senhor pretende fiscalizar o prefeito eleito?
Mudaria alguma coisa se o seu candidato fosse o eleito?

Acompanhando proposições e projetos de Leis encaminhados para as comissões, observando a sua finalidade e viabilidade, para ver se está enquadrada no orçamento do município. A questão de acompanhamento e fiscalização seria da mesma maneira, porém muitos projetos se tornariam mais viáveis pelo fato do prefeito ser da mesma coligação.

9 – Para concluir candidato, por que o senhor é a melhor opção?

Sou um candidato Ficha Limpa, defendendo a renovação na política e tenho experiência em ações comunitárias, através de Associação de Moradores, Conselho de Segurança e Conselho Local de Saúde.

Alexandre Vidal, jornalista para a Rádio Evangélica.

Acesse: Radio Evangélica