Pior que perder o celular, é perder os seus dados. Pense no que presidiários desocupados podem fazer com seus dados.
Não há esse problema na Europa – inclusive um rapaz precisou esperar dias até conseguir ser roubado, mas veja o que ele fez quando conseguiu (vídeo no final deste artigo).
Artigo original de Chris Smith, no BGR  – Boy Genius Report-  aqui.
Um aluno de cinema espiou tudo o que um ladrão fez com seu smartphone roubado
 
 Ter seu smartphone roubado é muito pior do que simplesmente perdê-lo. Se você perdê-lo, você ainda tem a chance de recuperá-lo usando os serviços internos que ajudam a rastreá-lo. Mas se um ladrão de smartphone profissional o roubar, é provável que você não consigade recuperá-lo. Anthony van der Meer teve seu iPhone roubado e Find My iPhone não foi capaz de ajudá-lo a recuperá-lo. Depois disso, o aluno de cinema decidiu criar um segundo roubo de smartphone, só que desta vez ele pré-carregou o dispositivo com spyware que o deixou espiar tudo o que o ladrão fez com seu smartphone roubado.
 
“Depois que meu telefone foi roubado, rapidamente percebi o quanto de minhas informações pessoais e dados o ladrão tinha obtido instantaneamente”, disse van der Meer. “Então, eu deixei outro telefone ser roubado. Desta vez, meu telefone foi pré-programado com spyware, então eu poderia ficar de olho no ladrão, a fim de conhecê-lo.
No entanto, o telefone que ele usou para atrair uma vítima não foi um iPhone. Você não pode executar aplicativos de spyware no iPhone e não tem o mesmo nível de controle que você tem com o Android.
Para o propósito desta experiência, o cineasta usou um HTC One pré-pago com um tipo especial de app que lhe daria total controle remoto do telefone. Ele também poderia usá-lo para espionar tudo o que o ladrão fizesse, desde que houvesse uma conexão de internet ativa no momento. Ele poderia tirar fotos e gravar vídeos, ativar o microfone do dispositivo para bisbilhotar conversas, coletar todos os dados de localização, ler todas as mensagens de texto, acessar o histórico de chamadas, verificar contatos e ver todo o conteúdo do telefone.
Tudo aconteceu graças a um aplicativo de spyware instalado no dispositivo que o ladrão nem sabia que estava lá. Van der Meer também bloqueou a capacidade do telefone de receber atualizações do Android, a fim de garantir que seu aplicativo de malware não fosse eliminado por um ladrão conhecedor.
O documentário “Find My iPhone” tem quase 22 minutos de duração, e definitivamente vale a pena assistir, pois dá um vislumbre da vida de um ladrão de smartphones. Além disso, ele também demonstra o que pode ser feito com um smartphone que executa um aplicativo malware sem o conhecimento do proprietário. A pessoa que o controla, seja ele um hacker ou uma agência de inteligência, é capaz de espionar tudo o que você faz sem o seu conhecimento.
https://www.youtube.com/watch?v=NpN9NzO4Mo8