Cientista brasileira, ganhadora de prêmio e conhecida por sua história de superação, apresentou diploma falso de Harvard.

O jornal O Estado de São Paulo descobriu que Joana d’Arc Félix de Sousa, de 55 anos, declarara uma formação em Harvard que não possui e usara um diploma falso para sustentar a informação. Ela também afirmava em entrevistas e palestras que entrara na faculdade aos 14 anos –o que, segundo o jornal, ela agora reconhece não ser verdade.

Após uma entrevista com o jornal, Joana enviou um diploma com o brasão de Harvard e o título de “pós-doutora em química orgânica”. A universidade negou tê-lo emitido, Harvard sequer tem diploma de pós-doutorado. Um dos professores que assinam o diploma disse que a assinatura dele era falsa.

Depois de ser confrontada pelo jornal, a cientista admitiu que o diploma era falso e alegou que ele fora produzido para uma “encenação de teatro”.

“As meninas mandaram junto quando o jornalista me pediu documentos. Eu pensei: tenho que contar isso para o jornalista, mas não falei mais com ele.”

A atriz Taís Araújo desistiu de interpretar no cinema a cientista. Não era suficientemente negra para o papel, de acordo com ativistas do movimento negro.

Taís Araújo disse que os críticos estavam “absolutamente certos”.



Joana seria interpretada no cinema pela atriz Taís Araújo, que declinou do papel, conforme noticiamos na semana passada.