Dando continuidade a série: “50 máquinas que mudaram o rumo da história”. Vamos falar sobre a Bicicleta de Segurança Rover, mas também vamos conhecer a evolução da bicicleta até chegar ao modelo o qual nós conhecemos.

A história moderna da bicicleta começa logo após as Guerras Napoleônicas (1803-1815) com o “velocípede”.

O velocípede, derivado do latim veloc- ‘swift’ + pes , ped- ‘pé’, era difícil de manobrar, pois sacolejava pelas estradas de terra batida da época com suas duas rodas de aros de metal idênticas, foi desenvolvido originalmente como um substituto para o cavalo, mas como as cavalarias europeias eram muito apegadas às suas montarias, foram os jovens modernos de Londres e Paris que adotaram a máquina, dando-lhe seu outro nome: o “cavalo dândi’.

Conhecendo a história da bicicleta.

Em 11 de junho de 1817, o alemão Karl Friedrich Drais(1785-1851) apresentou a precursora da bicicleta, a “draisiana”,como ficou conhecida. O veículo era de madeira, não tinha pedais, mas possuía duas rodas, sendo a dianteira dirigível. Para a bicicleta de Daris ser patenteada ela recebeu um assento de mola. Ela atingia a velocidade de 15 quilômetros por hora. Embora não tivesse despertado interesse na Alemanha, nos países vizinhos ela foi bem recebida. Ficou conhecida na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos como velocípede e na Inglaterra, chegou a ser usada, embora de forma experimental pelos correios.

Réplica da draisiana realizada pelo designer Marcos Bertoni
Gravura que mostra a invenção de Von Drais em funcionamento CHRISTOPHEL FINE ART / GETTY IMAGES

A invenção da bicicleta de pedais é atribuída ao ferreiro escocês Kirkpatrick MacMillan(1812-1878), em 1839, apesar de seu modelo ter começado a ser fabricado pelo inglês Thomas McCal(1834-1904), 30 anos depois. Alguns historiadores duvidam que o invento possa ser creditado a MacMillan: não restam nem esboços nem modelos anteriores aos de McCall.

A bicicleta fabricada por MacMillan em 1839. Este modelo é de cerca de 1860SCIENCE & SOCIETY PICTURE LIBRARY / GETTY IMAGES

Em 1860 foi patenteada por Pierre Lallement(1843-1891) , o modelo vendido como velocípede, mas chamado bone shaker (“agita ossos”), por causa do que ocorria quando circulava por ruas de paralelepípedos. Os pedais ficavam na roda dianteira.

Uma ‘bone shaker’ fabricada na década de 1860HULTON DEUTSCH / GETTY IMAGES

Em 1870, começa a ser produzida a bicicleta de roda alta, sendo um dos modelos mais conhecidos (e caros) a Ariel, de James Starley(1830-1881) que eram mais cômodas do que as bicicletas anteriores, mas não passavam segurança o que levou a mesma ter sua popularidade limitada pois era necessário um verdadeiro acrobata para conduzi-la.

Em 1936, Tornado Smith coloca uma carta na caixa de correio. Sua bicicleta anuncia o espectáculo ‘Wall of Death’, em que ele realizava acrobacias com sua moto. Derek Berwin DEREK BERWIN / GETTY IMAGES

O ano de 1880 marca o nascimento da bicicleta tal como a conhecemos hoje. Surgia a Rover Safety Bike que passou a ser comercializada pelo fabricante de bicicletas britânico John Kemp Starkley (1854- 1901), primeira bicicleta com transmissão por corrente e quadro “diamante”. Elas se chamavam “safety bike” por conta da segurança que a mesma proporcionava em relação Arial, pois o ciclista podia novamente colocar os pés no chão, sendo inspirada na bone shaker (“agita ossos”). A transmissão possibilitava que as rodas tivessem o mesmo tamanho, o que variava era o tamanho da coroa na dianteira e do peão na traseira. Unidas pela corrente, essas peças podiam levar o ciclista a distâncias nunca antes imaginadas e com total segurança. Tudo isso sem contar o rendimento energético, a força aplicada ao pedal rendia muito mais a cada pedalada por conta do sistema de corrente.

O tempo e a massiva utilização marcaram o sucesso das “Rover” que permanece até hoje como a estrutura fundamental do que é uma bicicleta.

A “Rover” tinha um valor de mercado elevado e era pesada, mas após uma década e a invenção de pneus infláveis suavizaram a condução da mesma. E logo a “Rover” se tornou a bicicleta-padrão em todo o mundo.

J. K . Starkley, criador da Rover, a primeira bicicleta de segurança SCIENCE & SOCIETY PICTURE LIBRARY / GETTY IMAGES

Em 1891, quando a bicicleta havia se tornado uma realidade mundo afora, do jornalista francês Louis Baudry de Saunier (1865-1938) lançou um livro – Histoire générale de la vélocipédie – que se tornou numa referência importante para leitores como o médico sanitarista Carlos Seidl (1867-1929), um entusiasta do uso do novo veículo.

O livro conta uma história ocorrida em 1790 na conturbada Paris da Revolução Francesa, Sivrac teria circulado com uma traquitana batizada de celerífero pelas ruas da cidade, que tinha apenas duas rodas e uma base. Nada de jogo de direção, pedais ou freios. Essa é única informação que se tem em relação ao conde.  Não se sabe quando nasceu, quando morreu nem o que fazia, e não há mais registros do tal celerífero.

Por ser um nacionalista ferrenho Saunier se sentiu mal com a humilhando derrota da França na Guerra Franco-Prussiana(1870-1871), ele criou a história de Sivrac para dar ao próprio país o primeiro passo do surgimento da bicicleta, colocando Sivrac como antecessor do barão.

Nem poderia ser diferente. Afinal, Mede de Sivrac jamais existiu: é uma invenção do jornalista francês Louis Saunier .

Saunier era um nacionalista ferrenho que estaria se sentindo muito mal com a humilhante derrota da França na Guerra Franco-Prussiana (1870-1871): inventou a farsa de Sivrac para, em uma revanche pessoal, dar ao próprio país a glória do primeiro passo no surgimento da bicicleta. Assim, o conde francês Sivrac teria antecedido alemão Karl Friedrich Drais.

Celerífero – Jasiel Azevedo /Pinterset

CAMPOS. Poti Silveira A história da bicicleta – A farsa de Sivrac. 44×11. 30 de out. 2011. Disponível em:< http://senhordospedais.blogspot.com/2011/09/historia-da-bicicleta-farsa-de-sivrac.html > acesso em 09/01/2020.

CHALINA, Eric. 50 Máquinas que mudaram o Rumo da História. Tradução de Fabiano Morais. Rio de Janeiro. Sextante. 2014.  

DRASIANA a avó alemã da bicicleta. Mobilize. 14 de jun. de 2013. Disponível em:< https://www.mobilize.org.br/noticias/4306/draisiana-a-avo-alema-da-bicicleta.html> acesso em 11/01/2020.

HANCOCK, JAIME RUBIO. Há 200 anos foi criada a primeira bicicleta: estes foram os primeiros modelos. El País. 24 de abr. de 2017. Disponível em :< https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/19/deportes/1492597692_626497.html> acesso em 18/01/2020.