As Doenças de fundo emocional são estudadas há muito tempo pela psicologia. A psicossomática é um tema fascinante e trata da intercomunicação mente e corpo.
Muito se fala sobre o poder do nosso cérebro sobre a saúde e que nos faz pensar: “Já que somos ‘poderosos’ em criar doenças será que podemos aplicar este poder na cura dessas mesmas doenças? O seu cérebro pode ser o seu próprio médico?”.
A Doença psicossomática e a Somatização referem-se a aspectos diferentes do mesmo ponto: a influência da mente sobre a saúde de nosso corpo.

psicossomatizacao
Mas afinal o que é ou do que se trata a Somatização?
Quando alguém diz que a pessoa está a somatizar, está a dizer que esse mesmo indivíduo apresenta sintomas físicos mesmo não havendo uma doença física – a causa desses sintomas é emocional. Tomemos como exemplo o caso da pessoa que sente taquicardia, o coração dispara e ela vai ao médico achando que está com um qualquer problema no coração. Ao chegar lá ela faz exames, e não acusa nada, o médico dispensa o paciente dizendo que ele está bem fisicamente. Esta taquicardia pode ser um sintoma de pânico – perturbação de pânico. Isso é, sem dúvida, somatização. Os exames não acusam nada porque a pessoa não tem nada fisicamente, o sofrimento físico é um reflexo do sofrimento emocional, que está escondido. O correto nessa situação é que o médico encaminhe a pessoa para um tratamento com um psicólogo. Só o psicólogo pode tratar e amenizar esse sofrimento, que apesar de se estar a manifestar no corpo é essencialmente mental, é emocional e psicológico. A ajuda deve ser feita a nível emocional. A Somatização, no fundo, é quando a pessoa apresenta sintomas cuja avaliação do médico não identifica qualquer problema orgânico, mas identifica uma causa psicológica, e o tratamento é feito com o psicólogo clínico.
Mas porquê esses sintomas físicos? Qual a sua função e razão de ser? A dor serve para alguma coisa?
Vejamos:
O sofrimento mental fica lá guardadinho, você pensa que está esquecido, mas ele está agindo no silêncio e se você não trabalhar o seu lado emocional, esse sofrimento pode encontrar uma forma de se manifestar, uma válvula de escape, que é o sintoma, que aos poucos vai fazendo com que o seu corpo fique doente. Todos os sintomas têm a mesma função, ou seja, alertar a pessoa de que alguma coisa não está bem, que você tem que tratar essa coisa. A somatização, também ela está a chamá-lo à atenção para você observar-se e focar-se em você mesmo e ver o que está errado na sua vida. Será o seu relacionamento com colegas? O casamento? Insatisfação no trabalho? Dificuldade nos estudos? Olhe para isso! Trate o que tem que ser tratado. Trate o emocional, porque o corpo só está chamando a sua atenção para que você veja que o psicológico não esta bem. Muitas vezes, quando você procura um médico com uma somatização, alguém diz que: “Isso não é nada!”. Se o médico também disser que você não tem nada, você sofre duplamente, porque sente que tem alguma coisa mas não sabe o que é e ninguém quer saber. A Doença psicossomática não é a doença da “mentirinha” ou fruto de uma personalidade histriónica, é antes uma doença que o médico não consegue identificar a causa, então ele tende a pedir-lhe para ficar tranquilo porque está tudo bem, quando, no fundo, não está.